sexta-feira, 30 de julho de 2010

Da Pré-História ao advento da Civilização


1.A Pré-história e seus principais períodos 
  • A Pré-história não corresponde ao mesmo período de tempo cronológico nas diversas partes do mundo.
  • Períodos: Paleolíticos, Neolíticos e Idade dos Metais (transição da Pré-história à  História).
 2.Período Paleolítico
  • Homem coletor: Predomínio da vida nômade. Surgem os primeiros clãs.
  • Controle do fogo
3.Período Neolítico
  • Homem produtor: Progressiva sedentarização,  desenvolvimento da agricultura e da criação de animais.
  • Ocorrem divisões do trabalho social e especializações de funções.
  • Inovações técnicas: cerâmica e roda.
4.Idade dos Metais
  • Transição da Pré-história:(Barbárie) à História das Civilizações.
  • Ampliação dos excedentes, produção mercantil, escravização de prisioneiros de guerra, aparecimento dos comerciantes.
  • Divisão da Idade do Metais: metalurgia do cobre, bronze e do ferro.
5.O Desenvolvimento da Civilização 
  •  Civilização: concentração histórica de um determinado nível de desenvolvimento sócio-cultural.
  • Características: formação do Estado, desenvolvimento do comércio e divisão social do trabalho com o contraste entre cidades e campos,  diferenciação social,  aparecimento de dominantes e dominados.
6.Civilização e Estados
  • Elemento do Estado: Governo,  população dividida em classes, território geográfico.
  • Função básica: amortecer os conflitos entre exploradores, evitando luta direta entre classes antagônicas.









arte do Paleolítico : cena de caçada pintada pelo homem primitivo



Neolítico :mão produtora



PINTURAS MEDIEVAIS


  
PARA SABER MAIS: 
PARA LER:
  •  RODRIGUES, Rosicler. O Homen na Pré-história. SP: MODERNA, 1992.
PARA ASSISTIR: 
  • " A Guerra do Fogo" , de Jean-Jacques, Annaud, França/Canadá, 1981, 97 min.
  •  " Evolução ",  Michael Mills, Canadá, 12 min.
PARA NAVEGAR NA INTERNET:
  • http://www.anpuh.uepg.br/- Página da Associação Nacional de História.
  •  http://www.tg3.com.br/mundoantigo/. 

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Civilização Mesopotâmica

    Assim como o vale do Nilo, a Mesopotâmia foi um dos lugares onde se desenvolveram algumas das mais antigas sociedades humanas.
    Muitos povos se sucederam na ocupação da Mesopotâmia, como Sumérios, Babilônios, Caldeus e Assírios. Embora esses povos apresentassem muitas diferenças entre si, o intenso intercâmbio mantido entre elas tornou possível a formação de culturas semelhantes, com diversos aspectos em comum.
   As semelhanças encontradas nas formas de organização  social e de produção e nas crenças religiosas, por exemplo, podem ser explicadas principalmente pelas guerras de conquista do território, empreendidas de maneira quase sistemática naquela região.
    Neste capítulo iremos examinar, em um primeiro momento, a História Política de alguns povos que ocuparam a Mesopotâmia e, depois, as tradições, os valores, as crenças, enfim, as características culturais compartilhadas por esses povos.


1. Características Gerais da Mesopotâmia.                                                     
  • A Mesopotâmia (terra entre rios) foi uma das primeiras regiões onde se desenvolveu a passagem de uma sociedade sem classe para uma sociedade de classes.

2. Elementos Básicos da Economia e da Sociedade
  • Não existia propriedade privada da terra, que nominalmente pertencia ao Rei. Desenvolveu-se uma primeira forma de sociedade de classes, na qual uma minoria que exercia o poder assumia o papel de classe exploradora.
3. Os Povos da Mesopotâmia
  • Sumérios (3500 a 2550 a.C): cidades politicamente independentes (Uruk, Nippur, Lagash, Eridu); criação da escrita cuneiforme.
  • Acádios (2550 a 2150 a.C): dominaram os Sumérios, unificaram as cidades e fundaram um Império No Golfo Pérsico até o norte da Assíria. Elaboração do Código de Hamurabi, um dos primeiros registrados pela História.
  • Assírios (883 a 612 a.C.): povo de espírito guerreiro, comandados por Reis como Sargão II, Senaquerib e Assurbanipal, realizaram grandes conquistas militares: Fenícia, Palestina e Egito. Utilizavam armas de metal (lança, escudo, espada) e carro de combate puxados e cavados.
  • Novos Babilônios (612 a 539 a.C.): seu principal Rei foi Nabucodonosor, que promoveu a reconstrução da Babilônia. Grandes obras: Jardins Suspensos e Torre de Babel. Nabucodonosor conquistou Jerusalém e submeteu os Hebreus (Cativeiro Babilônico).
4. Vida Cultural
  • Escrita cuneiforme: nasceu em função das necessidades práticas de contabilidade dos templos.
  • Religião: Politeísta. Cada Cidade tinha um Deus protetor (Anu, Ishtar, Shamash, Narduk). Não eram construídos túmulos luxuosos.
  • Artes: destaca-se a arquitetura, especialmente a construção de zigurates. Na literatura, registrada em escrita cuneiforme, salienta-se a Epopéia de Gilgamesh
  • Ciências: desenvolvimento da matemática e da astronomia (calendário lunar, previsão de eclipses).







    Assírios,  violentos e cruéis

    Povos da Mesopotâmia transportando mercadorias nas costas da cidade de Ur.







                                             "olho por olho"

    O Código de Hamurábi de pedra com 2,25 metros de altura, encontra-se hoje no Museu do Louvre em Paris.Dos muitos artigos de lei nele gravados, cerca de 250 já foram decifrados. Com isso, informações significativas sobre a sociedade mesopotâmica puderam ser reveladas.
    Pelo texto do código, ficamos sabendo que a punição a alguns delitos variava de acordo com a posição social tanto da vítima como do infrator. Em geral, no entanto, a justiça era aplicada pelo princípio do "olho por olho" , "dente por dente ", ou seja, o castigo era equivalente à ofensa ou dano causado.
    O código tratava dos mais variados assuntos relativos à vida cotidiana. Abrangia, entre outros temas, a regulamentação e o exercício das profissões, fixando a remuneração dos trabalhadores, normas a respeito do casamento, da assistência as viúvas, aos órfãos, aos pobres, etc.


    PARA SABER MAIS:

    PARA LER:

    • PINSKY, Jaime. As primeiras civilizações . SP: Contexto,2001.

    PARA ASSISTIR: 
    • " Os dez mandamentos ", de Cecil B. DeMille, EUA, 1956, 222, min.

    PARA NAVEGAR NA INTERNET: 
    •  http://www.agelfire.com/me/babiloniabrasil/index.html.

    quarta-feira, 28 de julho de 2010

    Civilização Egípcia


       No nordeste do continente africano, ao longo das margens do rio Nilo, constituiu-se uma das mais duradouras e exuberantes sociedades da História. Ainda hoje a cultura egípcia continua a despertar admiração, interesse e curiosidade. Historiadores, Arqueólogos, caçadores de tesouros, simples curiosos. Muitos são os que procuram saber mais a respeito da sociedade que construiu pirâmides colossais  e que desenvolveu inúmeros conhecimentos utilizados até os dias de h0je. 
     
    1. Características geografia do Egito 

    Três grandes características: É um oásis (influência do Rio Nilo), tem clima árido e seu território é comprido
    • O Nilo fornece água e terra arável. O Trabalho humano soube tirar o máximo proveito das cheias do Nilo (construção de canais de irrigação, de diques e de barragens).

    2. Estabilidade e Isolamentos do Egito
    • Administração forte e centralizada.
    • Isolamento geográfico (cercado por fronteiras com defesas naturais).
    • Civilização estável e contínua

    3. Estrutura Política
    • Poder absoluto do Faraó, Império Teocrático.
    • Complexa organização burocrática.

    4. Etapas da Evolução Política
    • Período Pré-Dinástico: Povos divididos em nomos, antes da unificação.
     • Antigos Império: unificação do alto e do baixo Egito. Organização da estrutura administrativa.
    • Médio Império: prosperidade econômica e conquistas militares
    Novo Império: expansão do território egípcio pela Ásia e aumento dos poderes dos sacerdotes. Depois do século XII a.C. iniciou-se o período de decadência, com breve recuperação entre 635 e 525 a.C. (Renascença Saíta).

    5. Vida Econômica
    Agricultura: uma das principais atividades econômicas. Culturas: algodão, cevada, trigo, legumes, frutas.
    Comércio: desenvolveu-se a partir do segundo milênio. Intercâmbio com Creta, Palestina, Síria e Fenícia.
    • Intervenção do Estado: administrava grandes pedreiras, minas e construção de canais, templos e pirâmides.

    6. Vida Social
    • As diversas camadas sociais estavam organizadas em castas hereditárias.
    Principais categorias sociais: sacerdotes, nobreza, escribas, militares, felás (camponeses pobres), artesãos e escravos.

    7. Vida Cultural
    Religião: Politeísmo. No culto oficial, destacava-se o Deus Amon – Rá. No culto popular, os Deuses Osíris, Ísis e Horus. Durante o Novo Império, o Faraó Amenófis IV tentou introduzir a Aton, mas a reforma teve curta duração.
    • Artes: arquitetura (pirâmides, mastabas, hipogeus), pintura e escultura (representação da figura humana em posição hierática).
    Ciências: desenvolvimento da matemática, da química, da astronomia e da medicina.




    trabalhadores egípcios 
      




     Faraó Ramsés II



    Pirâmide Quéops no período de 2700 a 2600 A.C.





     

    PARA SABER MAIS:

    PARA LER:

    • CARDOSO, Circo Flamiron S. O Egito Antigo. SP: Brasiliense, 1982.
    PARA NAVEGAR NA INTERNET :
    •  http://www.agelfire.com/me/babiloniabrasil/index.html.

    PARA ASSISTIR:

    terça-feira, 27 de julho de 2010

    Civilização Hebraica


            Os Hebreus são um dos povos que mais influência exerceram na formação Ético-Religiosa da Civilização Ocidental. Ao contrário da maioria dos povos da Antiguidade,  os Hebreus distinguiram-se pelo monoteísmo,  baseado na fé de um Deus único (Iavé), considerado criador de todo o universo e Senhor de todos os homens do mundo.  Foi da Religião Hebraica que o Cristianismo assimilou uma série de fundamentos doutrinários, como, por exemplo, o conceito do Deus único, as narrativas sobre a criação do mundo e dos dez mandamentos da lei de Deus. Enfim,  o Cristianismo incorporou grande parte das tradições religiosas dos Hebreus,  que nos foram transmitidas através do Antigo Testamento da Bíblia. 

    1.  O Legado Ético-Religioso dos Hebreus
    •  Os Hebreus distinguem-se pela religião monoteísta.
    • Foi da religião hebraica que o Cristianismo assimilou uma série de fundamentos doutrinários.
     2.  Etapas da Evolução Política dos Hebreus
    • Período dos Patriarcas: Abraão, Isaac, Jacó e Moisés.
    • Governo dos Juízes: Gedeão, Sansão e Samuel.
    • Instituição da Monarquia: Saul foi o primeiro Rei, seguindo-lhe Davi, e Salomão, que promoveu forte centralização política e construiu suntuosos palácios (Templo de Jerusalém).
    • Decadência e Dispersão: depois da divisão do povo Hebreu (Reino e Israel e de Judá) tem inicio, a partir de 722 a.C., um período de decadência. Em 587 a.C., Judá é conquistado por Nabucodonosor. Em 70 d.C. ocorre a Diáspora, quando a Palestina é integrada pelo Império Romano.
    3. Vida  Econômica
    • Duas grandes fases dos Hebreus: vida nômade e vida sedentária.
    • A evolução comercial dos Hebreus está ligada às migrações coletivos feitas por esse povo. 
    4.  Vida Cultural

    • Religião: é a grande contribuição cultural para a Civilização Ocidental Cristã
    • Artes: destacam-se a arquitetura (Templo de Jerusalém) e a literatura religiosa (Cântico dos Cânticos, Salmos etc.)
    • Ciências: sem contribuições inovadoras.  



     

    • Para saber mais:  
    •  Sugestões de Livros :
    • Bíblia
    • Sugestões de Filmes:
    • Abrão, Moisés, Davi, Salomão  

    domingo, 25 de julho de 2010

    Civilização Fenícia



    1.Características Geográfica da Fenícia 
    • Localização: estreita faixa de terra entre o Mar Mediterrâneo e as montanhas do Líbano.
    • Destino marítimo: o solo montanhoso e desfavorável à agricultura levou os Fenícios a se lançar ao mar e a desenvolver o comércio. 
    2. Estrutura Social e Política
    • Conjunto de Cidades-Estados independentes, governadas por Reis
    • Principais cidades: Biblo, Sidon e Tiro (que fundou a colônia de Cartago).
    • Posição social: a condição econômica determinava o papel do indivíduo na sociedade. Classe dominante: comerciantes marítimos, donos de oficinas e artesanato, negociantes de escravos,empresário, sacerdotes e funcionários do estado. Classe dominada: trabalhadores livres e escravos.
    3. Vida Econômica
    • Principal atividade: comércio marítimo, alimentado em grande parte pelo artesanato fenício (armas de bronze e de ferro, jóias, estátuas).
    4. Vida Cultural
    • Criação do alfabeto: é a grande contribuição cultural legada pelos Fenícios. Sua invenção estava ligada à necessidade de se encontrar um meio prático para as comunicações comerciais.
    • Religião: Politeísta, marcada pelo aspecto trágico e sangrento.
    • Ciência e Arte: não se preocupavam com a originalidade da arte nem com grandes inovações científicas. Desenvolverem a engenharia náutica e a astronomia.


    ALGUNS CARACTÉRES DO ALFABETO FENÍCIO




    sábado, 24 de julho de 2010

    Civilização Persa


    1.Situação Geográfica


    • Planalto do Irã, na Ásia Central.
     2.Evolução Política dos Persas
    • Sob a liderança de Ciro, ocorreu a unificação entre Medos e Persa, no século VI antes a.C.
    • Ciro,  Cambises e Dario ampliaram o domínio dos Persas, construindo o maior Império da Antiguidade.
     3.Estrutura Administrativa dos Persas
    • Apogeu: durante o reinado de Dario I
    • Organização administrativa: divisão em satrápias,  governadas pelos sátrapas e supervisionadas por inspetores reais. Aperfeiçoaram-se os sistemas de transportes e de comunicações.
     4.Vida Econômica
    •  Cada região conquistada continuou exercendo suas atividades costumeiras a unidade política imposta pelo império facilitava o intercâmbio comercial. Faltava maior circulação de moedas,  para dinamizar a economia.
      5.Vida Cultural
      • Artes: destaca-se a arquitetura,  que combinando elementos heterogêneos soube construir esplendorosos palácios (Susa e Persépolis ).
      • Ciências: poucas contribuições inovadoras.
      • Religião: doutrina fundada por Zoroastro,  que pregava incessante luta entre o Deus do Bem (Ormuz) e o Deus do Mal (Arimã). Símbolo religioso: o fogo.  



      Palácio de Persépolis



      moeda Persa com a figura de Dario







                                                         guerreiros de Persépolis



      

      sexta-feira, 23 de julho de 2010

      Civilização Cretense


      1.Características Gerais de Creta


      • Situação geográfica: maior ilha do Mar Egeu.
      • Estilo de vida dominante: bastante ligada às comunicações marítimas.
      • Períodos de sua História: a) Pré-Palacial; b) Palacial Antigo; c) Palacial Recente; d) Pós-Palacial.


      2.Vida Econômica e Social


      • Atividades econômicas: agricultura( cultivo de vinhas, oliveiras e cereais), produção artesanal e comercial marítimo.
      • Vida predominantemente urbana (Cnossos, Faístos, Mália e Telisso).
      • O comércio e o artesanato geravam oportunidades para que maior número de pessoas conquistassem autonomia econômica.
      • A escravidão nunca chegou a ser essencial para a vida econômica.
      • As mulheres gozavam de um nível de liberdade social incomum na antiguidade.

        3.Vida Cultural


      • Religião: tinha caráter matricial. Principal divindade: Deusa- Mãe.
      • Esportes: dedicavam-se às atividades atléticas.
      • Artes e Ciências: desenvolveram uma arte original na pintura, na arquitetura e na escultura.Nas ciências, exibiram grandes conhecimentos matemáticos e de engenharia civil.


      a sociedade cretense era predominantemente urbana






       

      quinta-feira, 22 de julho de 2010

      Civilização Grega

       Temos um sistema político que se chama democracia, pois se trata de um regime concebido, não para uma minoria, mas para as massas. Em virtude das leis todas as pessoas são cidadãos iguais. Por outro lado, é conforme a consideração de que goza em tal domínio que cada um é preferido para a gestão dos nossos negócios públicos, menos por causa da sua classe social do que pelo seu mérito. E nada importa a pobreza: se alguém pode prestar serviço a Atenas, não é disso impedido pela obscuridade de sua categoria. É com homens livres que administramos o Estado. Obedecemos aos magistrados sucessivos, às leis e, sobretudo, às que foram instituídas para socorro dos oprimidos.






      1. Características Geográficas



      • Território dividido em três grandes partes : Grécia Continental, Grécia e Peninsular e Grécia Insular.
      • Características fundamentais do território: presença marcante do mar e da montanha, dando ao território um aspecto fragmentado.
      • A fragmentação física facilitou a fragmentação política da Grécia.


      2. Principais Períodos da História Grega


      • Micênico ( século XV a século VIII a.C.)
      • Arcaico ( século VIII a século VI a.C.)
      • Clássico ( século VI a século IV a.C.)
      • Helenístico ( século IV a século I a.C.)


      3.Período Micênico ou Homérico


      • As estruturas comunitárias dos genos foram-se dissolvendo, à medida que surgiram o direito de herança dos Aqueus, Jônios, Eólios e Dórios, a diferenciação de classes e a generalização do regime escravista.


      4.Período Arcaico


      • Desenvolvimento das Cidades-Estados : A Polis grega substituiu a divisão das pessoas por laços de parentesco, pela divisão em classes sociais.


      • Esparta: Cidade do sul do Peloponeso, fundada pelos Dórios. Desde suas origens foi uma cidade militarista e aristocrática.


      -Principais classes: Esparciatas, Periecos e Hilotas.


      -Instituições Políticas: Diarquia, Gerúsia, Apela e Conselhos dos Éforos.


      -Atenas: Situação geográfica - Planície da Ática, próxima ao Mar Egeu.


      - Evolução Política: Monarquia ( século VIII a.C.), Oligarquia ( século VII a.C.). Período das Reformas Sociais-- Drácon, Sólon ( século VII a VI a.C.) Tirania (século VI a.C.)e Democracia ( século V.a.C.)


      - Sociedade: destacavam-se três classes ( Eupátridas, Metecos e Escravos ).


      5.Colonização Grega


      • Conquista de diversas regiões da costa do Mediterrâneo e do Mar Negro.


      6.Aspectos da Vida Econômica na Grécia


      • Agricultura: cultivo da oliveira e da videira
      • Indústria manufatureira: o trabalho urbano dos artesão crescia com o trabalho dos escravos nos ergasterions.
      • Comércio: Atenas assumiu a liderança comercial com a formação de um Império Marítimo, após as Guerras Médicas.


      7.Período Clássico


      • Guerra do Peloponeso: longo conflito entre cidades gregas, que tinham como líderes antagônicos as cidades de Esparta e de Atenas (431 a 404 a.C.)e de Tebas (371 a 362 a.C.).Ao final, Atenas foi derrotada, juntamente com seu projeto de unificação imperialista.
      • Hegemonia de Esparta ( 404 a 371 a.C) e de Tebas (371 A 362 a.C.).


      8.Período Helenístico


      • Decadência da civilização grega sob domínio macedônico. Filipe conquista a Grécia.
      • Expansão do Império Macedônico, com Alexandre Magno.


      Cronologia Grécia

      XII-VIII a.C. - Período Homérico


      VIII-VI a.C.- Período Arcaico


      V-IV a.C.- Período Clássico


      508-502 a.C.- Reformas de Clístenes


      492-480 a.C. - Guerras Médicas: Cidades gregas contra o Império Persa-(século va.c).Desenvolvimento do Império Ateniense a partir da Liga de Delos                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           
      477 a.C. - Formação da Liga de Delos


      461-429 a.C.- Apogeu da Democracia Ateniense


      431- 404 a.C- Guerra do Peloponeso


      338-337a.C.- Os Macedônicos conquistam a Grécia


      336-323 a.C- Conquistas de Alexandre , o Grande


      323 a.C- Divisão do império de Alexandre



      A Guerra de Tróia

      Segundo o poeta Homero, no poema Ilíada, a Guerra de Tróia ocorrida porque Paris, filho do Rei de Tróia raptou Helena, esposa de Menelau, o Rei de Esparta, e famosa por sua beleza. Menelau e outros chefes gregos formaram um grande exército, sob o comando de Agamenon, o Rei de Micenas, atacaram Tróia. A cidade resistiu a um cerco de dez anos.
      Tróia foi finalmente tomada graças a um ardil sugerido por Ulisses, Rei de Ítaca. Os gregos construíram um grande cavalo de madeira, no interior do qual esconderam alguns soldados. O cavalo foi oferecido aos troianos, que o levaram para dentro da cidade. À noite, os soldados saíram do interior do cavalo e abriram os portões da cidade para que entrasse o exército grego, que massacrou os troianos, semi-adormecidos.
      É possível que a Guerra de Tróia tenha realmente ocorrido e seja um dos episódios da expansão dos micenianos em direção ao mar Negro, mas essa é uma hipótese que ainda está para ser comprovada.




      Guerreiros  gregos 



      Atenas




      

      Herança Cultural Grega

         Nos mais diversos setores do saber humano, os gregos deixaram uma valiosa herança de realizações culturais. Herança que representa uma das estruturas fundamentais sobre a qual se ergueu culturalmente a civilização ocidental. Empolgado com essa herança monumental, já houve quem afirmasse exageradamente que "nada existe movendo-se em nosso mundo, que não seja grego em sua origem".


      Epicuro " o prazer de identificar-se com o bem".



                   Estátua em mármore: Vitória de Samotrácia.



      colunas : dórica, jônica e coríntia.


                                  Ruínas do teatro grego Epidauro.



                                                     Sócrates


      Aristóteles


                                                      Platão

      MULHERES DE ATENAS






      PARA SABER MAIS:

      PARA LER:

      FLOREZANO, Maria B.nascer, viver e morrer na Grécia antiga. São Paulo: Atual, 1996.

      FUNARI,Pedro Paulo A. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto,2001.


       
      PARA ASSISTIR:

      • "Alexandre ", de Oliver Stone, EUA/ Reino Unido, 2004, 175 min.
      • "Fúria de Titãs", de Desmond Davis, Inglaterra, 1981, 118 min.
      • "Tróia", de Wolfgang Petersen, EUA, 2004, 163 min.
      PARA NAVEGAR NA INTERNET:
      • http://paginas.terra.com.br/arte/mundoantigo/grecia/.

      quarta-feira, 21 de julho de 2010

      Civilização Romana


            O Império de Alexandre, o grande, representou a primeira tentativa de difundir uma mesma cultura e reunir Oriente e Ocidente em um único Estado. Mas não resistiu à morte de seu criador e desagregou-se rapidamente. Destino diferente coube aos romanos. Organizada inicialmente como Cidade-Estado, a expansão de Roma pela Península Itálica levou 230 anos para se consolidar. Após Tê-lo feito,  porém, seu domínio se alastrou desde a Península Ibérica até a Mesopotâmia. Nos dois primeiros períodos de sua História, Roma conheceu a Monarquia e a República. Por essa época, constitiu-se em seu território um Estado forte e unificado,  com uma poderosa burocracia.  Surgiram também grupos sociais diferenciados, que viviam em permanente conflito. Desse conflito originaram-se Instituições Políticas responsáveis por representar as camadas populares da sociedades.



           

      1. Características Geográficas da Itália
      • Localização: a Península Itálica ocupa posição central no Mar Mediterrâneo
      • Povos: foi ocupada por Italiaotas, Etruscos e Gregos
      2. Origens de Roma e Períodos da História Romana
      • Lenda: os irmãos gêmeos Rômulo e Remo,  que tinham sido amamentados por uma loba. Fundaram Roma (753 a.C).
      • Pesquisa sobre a origem: está ligada aos povos Sabinos e Latinos. Por volta do século VII a.C., com os Etruscos, consolidou-se a fundação.
      • Períodos da História: Monarquia (753 a.C a 509 a.C ), República (509 a.C a 31 a.C .) e Império (27 a.C. a 476 d.C.).
      3. Período da Monarquia
      • Os Genos eram a célula fundamental da sociedade. O povo estava organizado em Genos, Cúrias e Tribos.
      • Instituições Políticas: Senado, Assembléia Curial e Rei.
      • Classes Sociais: Patrícios, Plebeus e Escravos.
      • Reforma Serviana: destruiu a organização da comunidade gentílica baseada na união pelos laços de sangue e de solidariedade. Toda população foi dividida segundo o território e o grau de riqueza.
      4. Período da República
      • Instituições Políticas: Senado, Assembléia dos Cidadãos e Magistraturas.
      • Lutas de classes: a) dos escravos: rebeliões, mas não revoluções ;b) luta dos plebeus: conquistaram uma série de direitos que, ao final, não chegaram a beneficiar toda a plebe mas apenas seus líderes.
      • Conquistas militares: à expansão militar seguiu-se uma série de etapas: conquista de toda a península itálica,  Guerras Púnicas, submissão de Cartago e dominações das regiões mediterrânicas. As conquistas alteraram o modo de vida romana, que evoluiu, nas classes dominantes, em direção ao luxuoso e ao requintado. Desenvolveu-se a classe dos cavaleiros (comerciantes ou financistas ricos ). Empobrecimento da massa plebéia, devido aos esforços das guerras
      • Crise da República e Reforma dos Graco: Tibério e, depois, Caio Graco elaboraram leis entre 133 a.C e 122 a.C., para atenuar os sofrimentos das massas (lei agrária ,  lei judiciária e lei frumental ).
      • Transição da República para o Império: na transição da República para o Império ocorreram lutas pelo poder,  compreendendo várias etapas: Caio Mário (107 a.C), Cornélio Sila (82 a.C), 1º triunvirato (60 a.C), Ditadura de César (46 a.C), 2º triunvirato (43 a.C) e Ascensão de Otávio.
      5.Período Imperial
      • Obra de Augusto: sem assumir oficialmente o título de Rei,  Augusto governou com poderes absolutos e promoveu uma série de reformas sociais e administrativas. Instituiu e consolidou as instituições romanas.
      • Alto Império (27 a.C 235 d.C): período de crescimento e de esplendor de Roma;
      • Baixo Império (235 a 476): fase de turbulência, que marcou a decadência de Roma.
      6. A decadência Romana
      • Tensões e rebeliões internas somaram-se a pressões dos povos bárbaros na desagregação do Império Romano .Em 395 dividiu-se a parte ocidental ( com sede em Roma )da parte oriental ( com sede em Constantinopla).Em 476, o último imperador romano do Ocidente, Rômulo Augusto,  foi deposto por Odoacro, Rei dos Hérulos. 

      pare, olhe, reflita

      Segundo a lenda, Roma teria sido fundada em uma época imprecisa por Enéias, filho da Deusa Vênus e do herói Anquises. Troiano de nascimento, Enéias fugiu da cidade natal quando esta foi tomada pelos gregos no fim da Guerra de Tróia. Teria rumado então para a Península Itálica, onde se casou com a filha de um Rei e fundou a futura "Cidade Eterna".


      Além disso, o Rei era o Chefe da Supremo da Guerra.
      Ao Senado, Rômulo atribuiu o poder de decidir sobre todas as questões que o Rei lhe submetesse e de fazê-lo por meio do voto. Ao povo em geral, concedeu os seguintes poderes: eleger os Magistrados, sancionar as leis, decidir sobre a paz e a guerra, se o Rei assim desejasse. No entanto, mesmo assim, a autoridade do povo não estava fora de controle, pois a aprovação das decisões pelo Senado era necessária.

      A Revolta de Espártaco

      Vivendo em condições miseráveis, os escravos do sul da Península Itálica organizaram, em 73 a.C., uma revolta pra se libertar e voltar aos seus locais de origem. O líder da rebelião foi o gladiador Espártaco foi morto e seis mil revoltosos foram presos e crucificados ao longo da estrada conhecida como via Ápia, entre as cidades de Roma e Cápua.

      A Monarquia Romana

      Ao fundar Roma, Rômulo distribuiu o povo em três grupos, colocando na chefia de cada um deles o indivíduo mais ilustre .Em seguida, dividiu cada um dos grupo em dez, à frente dos quais colocou os mais corajosos. Chamou de tribos as divisões maiores e de cúrias as menores(...).

      Rômulo reservou ao Rei as seguintes prerrogativas: Presidir as cerimônias sagradas e os sacrifícios e colocar em prática a vontade dos Deuses; em seguida, como guardião das leis e dos costumes dos antepassados, aplicar a justiça segundo o direito natural e o direito estabelecido; julgar os crimes maiores, relegando os menores aos senadores; reunir o Senado e convocar o povo, dar seu parecer e executar as decisões da maioria.




      Vila Romana