sexta-feira, 2 de julho de 2010

As Revoluções Européias do Século XIX


   A palavra Liberalismo surgiu após a Revolução Francesa para designar um conjunto de doutrinas e idéias políticas e econômicas que defendiam os conceitos de liberdade e autonomia individual. Como teoria, porém, as origens do Pensamento Liberal estão na obra de John Locke (1632-1704), filósofo e cientista político intimamente ligado a Revolução Gloriosa de 1688-1689 na Inglaterra. Na França,  seu ponto de partida foram as reflexões de Montesquieu e dos pensadores iluministas sobre o Estado e os direitos naturais. John Locke e os iluministas acreditavam que a liberdade consiste em um direito natural, inerente a todos os seres humanos desde o nascimento. A função do Estado seria defender e proteger essa liberdade,  assim como outros direito inatos ao ser humano,  entre os quais o de propriedade, o de consciência e o de livre manifestação do pensamento. Esses princípios formaram a base do Liberalismo Político onde quer que ele tenha se manifestado.


1. A Restauração dos Bourbons e a Revolução de 1830.
  • Governo de Luís XVIII (1815 a 1824): Terror branco contra os grupos Bonapartistas e Liberais.
  • Governo de Carlos X : assumiu o trono francês apoiado pela Igreja e por setores ultra conservadores. Sua política antiliberal provocou a revolta da Burguesia.
  • Revolução de 1830: Luís Felipe D'orleans, apoiado pela Alta Burguesia Financeira, foi conduzido ao trono francês.
2. O governo de Luís Felipe (1830 a 1848)
  • Luís Felipe tornou-se conhecido como o Rei Burguês.
  • Promoveu a Expansão Colonial Francesa em direção à África e à Ásia,  visando os interesses da Alta Burguesia.
3. A Revolução de 1848 e a Ascenção de Luís Napoleão
  • A Revolução de 1848 pregava o fim do Reinado dos Banqueiros.
  • Os Socialistas exigiam mudanças profundas na estrutura social. A Burguesia apavorou-se.
  • Luís Bonaparte tornou-se o primeiro Presidente da nova República, com o apoio da Burguesia, da Igreja e do Exército.
  • Antes de terminar o mandato de Presidente, Luís Bonaparte deu um golpe de Estado e proclamou-se imperador,  com o título de Napoleão III.
4. A Onda Revolucionária e suas Teses Liberais
  • A aliança instável entre setores da Burguesia e o Proletariado provocou uma onda revolucionária em diversos países europeus (Itália, Áustria, Irlanda, Alemanha, Suíça, Hungria, etc.).
  • Os Grupos Liberais: Democracia, não intervenção do Estado na economia, separação entre Estado e Igreja e tolerância religiosa. O Nacionalismo defendia os respeito pela natural formação dos povos e seu direito à independência nacional.
5. A Unificação da Itália
  • Foi no Reino Sardo-Piemontês que surgiu efetivamente o movimento em prol da unificação da Itália, liderado pelo Conde de Cavour. Depois de uma série de guerras, a unificação da Itália estava praticamente concluída no ano de 1860. Vitor Emanuel II foi o proclamado rei da Itália em Março de 1861. Quando Roma foi anexada à Itália, em 1870, o Papa permaneceu no Palácio do Vaticano, opondo-se á perda de seus territórios. A chamada questão romana somente foi resolvida pelo Tratado de Latrão, em 1929, com a criação de pequeno Estado do Vaticano.
6. A Unificação da Alemanha
  • Depois da segunda metade do século XIX, a Prússia passou a liderar, através da figura de Bismark, o processo de unificação dos Estados alemães. Depois de uma série de lutas, Guilherme I foi proclamado Imperador da Alemanha, em Janeiro de 1871. Acelerando a industrialização, a Alemanha tornou-se uma das maiores potências econômicas da época.
7. A Comuna de Paris
  • Em 1871, o proletariado assumiu o controle de Paris. Pretendia criar um Estado dos trabalhadores, inspirado nos Ideais Socialistas. O sonho da Comuna durou pouco.  Em maio de 1871, o movimento Proletário-Socialista foi violentamente reprimido.

PARE, OLHE, REFLITA...

No século XIX, a Europa foi agitada por inúmeros movimentos sociais, que tinham por motivação idéias Liberais,  Nacionalistas ou Socialistas. Os grupos liberais que combatiam o Absolutismo,  reivindicando uma constituição escrita ou o direito de voto. Os Nacionalistas defendiam a independência e a unidade da nação. Já os Socialistas lutavam por direitos ou mudanças em benefício dos trabalhadores. Muitas vezes, esses ideais apareciam juntos.

ARTE E LITERATURA NO SÉCULO XIX

No fim do século XVIII, a Arte e a Literatura européia passaram por várias mudanças . As formas barrocas, mais rebuscadas, deram lugar à estética clássica, inspirada nos padrões greco-romanos, que por cerca de duzentos anos haviam permanecido em segundo plano. Era a vez do Neoclassicismo,  que surgia sob a inspiração das idéias iluministas. Essa tendência,  entretanto, não iria durar muito tempo. Após a Revolução Francesa, outra corrente de idéias iria se afirmar: o Romantismo,  marcado pelo sentimento, pela emoção e pela individualidade.



Rei Burguês Luís Felipe



Otto Von Bismark



Napoleão Bonaparte


SUGESTÕES DE LIVROS:
  • a era do capital de Eric j. Hobsbawm, paz e terraIlusões perdidas, de Honoré de Balzac, Abril cultural


  • o séc. XIX de René Rémond.

2 comentários:

Anônimo disse...

muito bem publicado; eu acho que deveria haver mais conteudo.

Anônimo disse...

não precisa estender o assunto basta resumi-lo as escolas deverião adotar este método os alunos entenderião mélhor.

Postar um comentário